Buenos Aires: a terra do tango, das grandes manifestações políticas, da cultura em cada esquina e do imenso “mar” do Rio de la Plata é efervescência pura em todos os sentidos. E, pensando bem, não poderia ser diferente se pensarmos que, acrescidos ao espírito quente dos argentinos, estão mais de 3 milhões de moradores em uma cidade de 200 km².

Fundada pela primeira vez em 1536 pelo espanhol Pedro de Mendonza com suas primeiras comunidades ao redor do que hoje é a famosa Plaza de Mayo, foi apenas após a sua segunda fundação, em 1580 pelo também espanhol Juan de Garay, que começou a se desenvolver.

Hoje a capital da argentina é considerada uma das maiores cidades do mundo, com seus cafés e restaurantes e uma vida cultural vastíssima composta por museus, monumentos históricos, shows de dança típica, teatros e uma culinária muito própria. Fazer turismo em Buenos Aires é se regalar de vida, em seu mais puro sentido.

As opções são tantas que é praticamente impossível relacionar a todas em um só post. Algumas, no entanto, já conquistaram o status de imperdíveis, principalmente para os brasileiros que, devido à proximidade e as facilidades em relação à moeda e ao idioma, encontram em Buenos Aires um de seus principais destinos de férias no exterior.

Conheça também as Dicas de turismo para visitar o Chile

turismo chile

Onde tudo começou e onde quase tudo termina

A arquitetura para lá de charmosa já conquista e emociona assim que se chega, mas em alguns lugares a aura de sentimentos se sobrepõe às formas do concreto, como na Plaza de Mayo. O local, coração político da cidade, é palco frequente de manifestações populares desde a expulsão dos colonizadores espanhóis em 1810 e a consequente conquista da independência passando pelas “mães da Praça de Mayo” que ocupavam o local exigindo notícias de seus filhos desaparecidos durante a ditadura militar entre 1976 e 1983 – e que até hoje se encontram no local às quintas-feiras.

A praça, que foi justamente onde a cidade teve início ainda na sua primeira fundação, hoje é também onde praticamente tudo termina. É lá que ficam o Cabildo (sede do governo na época da colonização), a famosa Casa Rosada (sede atual do governo e um dos símbolos do país), o Congresso e a Catedral Metropolitana, cuja fundação data de 1622, mas o término na construção ocorreu apenas 100 anos depois. Toda arborizada e cheia de bancos é local de descanso dos trabalhadores locais.

Teatros e museus em toda a cidade de Buenos Aires

Verdadeira rua-museu a céu aberto, o Caminito é outro ponto que não se pode deixar de conhecer quando se vai a Buenos Aires a turismo. O nome é em referência a um tango cujas letras estão gravadas em várias paredes do casario colorido que é característica do lugar. Neles, ateliês, restaurantes, cafés e muitas lojas oferecem uma variedade imensa de lembranças aos turistas.

Museus são o que não falta. O Malba, como é mais conhecido o Museu de Arte Latinoamericana, traz obras geniais de Frida Kahlo e Tarsila do Amaral, por exemplo, além de artistas de vários países e ainda obras interativas. Já o Museu Nacional de Belas Artes tem como principal foco a história da Argentina através de artistas locais, mas traz também quadros de artistas como Pissarro, Monet e El Greco.

Por outro lado, considerado um dos melhores teatros de ópera do mundo por sua acústica fantástica, o Teatro Colón, grande orgulho dos portenhos, como são chamados os moradores de Buenos Aires, impressiona pela sua riqueza de detalhes. Vale a pena fazer a visita guiada para conhecer detalhes da sua constrição e, é claro, assistir a uma de suas maravilhosas óperas.

Monumentos são tão variados quanto marcantes

Não é museu nem teatro, mas um pouco estranhamente tornou-se um disputado ponto cultural-turístico de Buenos Aires: o Cemitério da Recoleta. A explicação estaria na grande quantidade de famosos que repousam em suas lápides, entre eles Evita Perón (túmulo sempre com flores) e o general Alvear. Uma visita guiada também conta a história dos túmulos mais importantes, alguns deles considerados monumentos nacionais.

Buenos Aires Floralis Generica

Aos 400 anos de fundação da cidade de Buenos aires foi erguido o Obelisco no cruzamento das avenidas 9 de Julho (que já foi considerada a mais larga do mundo) com Corrientes. Já a imensa flor de metal criada pelo arquiteto Eduardo Catalano, batizada como Floralis Generica, chama de dia, quando as pétalas se abrem, e à noite, quando se fecham. Já o estádio do Boca Juniors não chega a ser um monumento, mas para muitos é tratado como tal. O La Bombonera é um dos pontos mais visitados de Buenos Aires, que também traz um museu e visitas guiadas que levam até os vestiários dos jogadores.

Vai para a Argentina? Não esqueça de conhecer o Turismo em Bariloche!

Comer e dançar, a dupla perfeita

Essas são duas coisas realmente difíceis de se escolher em Buenos Aires, tamanha a variedade de ofertas. Falar em gastronomia na cidade é discorrer sobre dezenas de restaurantes maravilhosos, que, ainda que cada um a seu jeito, refletem uma das maiores características locais: a excelente mesa.

Dentre os cafés, aqueles que estão praticamente a cada esquina, os mais tradicionais são o Café Tortoni, fundado em 1858 e que traz uma decoração belíssima. Considerado o mais antigo da cidade, é famoso por vários motivos, mas o principal deles é o café ou chocolate quente de fim de tarde com churros. À noite tem show de tango.

Já para saborear a famosíssima carne argentina com as também famosas papas fritas, dois locais são imperdíveis: Don Julio e o La Brigada. Carnes saborosas em cortes super macios fazem você esquecer qualquer dieta. Mas lembre-se: na Argentina o normal é servir carne mal passada, por isso se você quiser a sua bem passada não esqueça de pedir – e frisar bem.

E falar de Buenos Aires sem falar de tango chega a ser heresia: ele está nas milongas, nas ruas, nas casas pouco conhecidas, nos bares e até nos cafés, como o Tortoni. Os shows são para todos os gostos e bolsos, daqueles que são a mais popular expressão da terra aos próprios para turistas. Entre estes os mais procurados são o Señor Tango, Tango Porteño, Modero Tango e o Piazzolla. Se quiser um tango mais intimista a dica é o tango do El Querandi. E se quiser dançar entre o povo, sentindo o tango da rua, vá às milongas, muitas das quais dão aulas da dança.

Agora só falta marcar as passagens e fazer as malas, porque o roteiro já está prontinho. É seguir as dicas e aproveitar cada minuto em Buenos Aires!

Quer saber mais sobre viagens? Compartilhe conosco sua sugestão e nós responderemos com muitas dicas em outro post!