Mochileiros de carteirinha e viajantes novatos, a postos!

Alguém aí já pensou em fazer uma trilha em Machu Picchu? Por mais estranho que pareça, esse tem sido um dos destinos mais procurados por aventureiros do mundo todo, inclusive pelos brasileiros!

Dentre todas as atrações turísticas e as riquezas culturais que essa “cidade perdida” oferece, a Trilha Inca (também conhecida como Caminho Inca), é considerada uma das rotas mais espetaculares de trekking do mundo. São 4 dias de viagem que com certeza virarão histórias maravilhosas para compartilhar com os amigos!

Quer saber o que te espera nessa caminhada? Fizemos um “diário de bordo” especialmente para você se apaixonar ainda mais pela aventura!

 

1º DIA – CHEGANDO EM OLLANTAYTAMBO

 

O início da viagem é de ônibus, saindo de Cusco com destino a Ollantaytambo. São duas horas repletas de paisagens de tirar o fôlego. É bom aproveitar para preparar as pernas, porque uma vez em Ollantaytambo, não tem mais volta!

A jornada a pé já começa nas alturas, a partir de uma ponte que cruza o rio Urubamba, no quilômetro 82. É o melhor dia para pegar o ritmo da trilha, já que a caminhada é mais “curta” (aproximadamente 4h/5h) e termina antes do anoitecer.

Os grupos costumam se recolher cedo, especialmente depois de uma longa caminhada. E prepare-se porque aventureiro que é aventureiro passa por perrengues, principalmente quando se trata de higiene. Já ouviu falar do famoso “banho de gato”? Pois bem, não há lugar para tomar banho nesse 1º dia, então abasteça-se de lencinhos umedecidos!

 

trilha inca machu picchu

 

2º DIA – COMEÇANDO A TRILHA INCA MACHU PICCHU

 

Para quem estava sentindo falta da emoção e achou que estava moleza, é aqui que subidas e mais subidas começam. A dica é tomar um café da manhã bem reforçado e se alongar, pois a trilha sobe mais de mil metros de altitude e possui vários desníveis de pedra!

Os viajantes mais experientes sugerem subir pelas extremidades dos desníveis, andando em S, para reduzir o desgaste. E apesar do corpo estar bastante aquecido por causa do esforço físico, lembre-se que o local é alto e costuma fazer frio. Por isso, esteja com luvas e gorro sempre acessíveis.

Aproveite o almoço para recuperar as energias, pois ainda há uma longa caminhada até chegar à parte mais alta da trilha, Warmiwañuscca, a 4.215 metros de altitude! Mas sem desânimo! Daqui em diante, a caminhada se torna uma descida.

Depois de um dia cansativo e cheio de aventuras, os viajantes são recompensados com uma noite de sono sob um céu estrelado de tirar o fôlego!

 

3º DIA – DESCENDO AS ESCADARIAS

 

Também é conhecido como “o dia da descida” e da chuva, já que a trilha passa por uma floresta tropical.

E a descida é longa! São cerca de 3 mil degraus! Mas não se assuste, pois as paisagens mudam tão drasticamente que o passeio se torna ainda mais inspirador. É um misto de ruínas, selva e despenhadeiro.

O negócio é descer devagar e sempre, com atenção para não escorregar, principalmente pelo fato de as rochas estarem frequentemente úmidas por causa da chuva incessante. No final da descida, o grupo é agraciado com a primeira visão de Águas Calientes, a vila próxima a Machu Picchu. Mais 40 minutos e finalmente se chega ao acampamento!

 

4º DIA -CHEGADA EM INTI PUNKU

 

Dia de madrugar! 3h30 da manhã todo mundo já está de pé para conseguir pegar o trem em Águas Calientes a tempo, já que o portão de entrada de Machu Picchu abre às 5h. Quem estiver interessado em subir o Huayna Picchu deve ir mais rápido que o resto do grupo, pois há um limite para o número de pessoas. Quer saber mais sobre esse passeio? 

A chegada em Inti Punku (Porta do Sol) é emocionante! É a primeira visão de Machu Picchu. Mas não perca muito tempo tirando fotos no local, pois mais adiante é possível encontrar ângulos ainda melhores. Além disso, o momento mais esperado de toda a trilha finalmente está para chegar.

Entrar em Machu Picchu é uma sensação indescritível. É hora de finalmente aproveitar e apreciar toda aquela arquitetura de beleza única!

O passeio guiado pela cidade inca dura aproximadamente 1 hora e meia e passa pelos principais pontos: Casa do Inca, Portal das 3 Janelas e Sala Acústica. Depois, o tempo é livre até o final da tarde, quando fecha o parque.

Para aguentar passar o dia todo por lá, o ideal é trazer mantimentos na mochila, pois os preços para alimentos são exorbitantes. Outra opção é pegar um ônibus com destino a Águas Calientes. Como o próprio nome pressupõe, o ponto turístico é conhecido pelas piscinas de águas quentes, ótimas pra depois de tanto esforço físico! É uma ótima oportunidade para relaxar e finalmente dormir em uma cama de verdade para pegar o trem na manhã seguinte.

E aí? Pronto para agitar essa aventura? Entre em contato com a Aghito e planeje sua viagem!