O Chile é um dos destinos preferidos dos brasileiros, ainda mais quando o assunto é neve. Pertinho de casa e com uma infraestrutura de primeiríssima, há várias opções para esquiar no Chile, seja fera ou levando seus primeiros escorregões.

O principal deles é o Valle Nevado, pertinho de Santiago e, o melhor, é que lá praticamente todo mundo fala português, tamanha a frequência dos conterrâneos por lá, principalmente na alta temporada. Valle Nevado é a mais tradicional, mais famosa e também a mais cara estação de esqui do Chile, mas não é a única. Então se você já está se imaginando descendo aquelas montanhas brancas, preste atenção nas dicas a seguir e comece a planejar a sua viagem!

Primeiros passos em Valle Nevado

Claro que você vai para lá na temporada de inverno, lembre-se que as estações lá são como as daqui e o que muda é a latitude (quanto mais para o sul, mais frio) e a altitude. Por isso a dica é aproveitar as férias de meio de ano e fazer esse passeio super diferente, praticamente sonho unânime de todo brasileiro que não aguenta mais sentir calor. Depois que chegar em Santiago, são apenas 60 Km (pouco mais de 1 hora de viagem) até Valle Nevado em uma estrada que, por si só, já é um abuso da natureza.

Vale a pena cada minuto. O ideal é fazer o transfer em uma das lojas locais, como a Ski Total, que pega você no hotel e resolve tudo. Lá mesmo você já deixa pago, inclusive, o equipamento de eski, mas se quiser também pode deixar para alugar na própria estação. No entanto, desde a última epidemia de H1N1 no Chile as luvas não são mais alugadas, você tem que levar as suas ou compra por lá.

Chegando em Farellones

Os 36Km que separam Farellones de Santiago é simplesmente lindo, com suas mais de 40 curvas. A vila é composta por casinhas de madeira e a estância foi uma das pioneiras da região, abrigando também algumas das melhores pistas de esqui. Lá mesmo você compra um skipass integrado de acesso a teleféricos e gôndolas de elevação que funciona como uma credencial fornecida pelos próprios funcionários locais a todo momento. São mais de 120 Km de pistas a 2.500 m de altitude para todos os níveis de expertise, mas há também atividades para quem não quer esquiar, como a tirolesa e o Tubing, uma espécie de boia para neve.

Opção El Colorado

Pertinho de Farellones fica El Colorado, cujo centro é pitorescamente composto por duas aldeias interconectadas. A infraestrutura é de primeira e super moderna, com muitos hotéis, restaurantes, discotecas, cafeterias, lojas de aluguel de equipamentos, escolas de esqui etc. São 1 mil hectares com 40 Km de pistas de esqui a 3 mil metros de altitude, totalizando 22 pistas de esqui e 18 meios de elevação.

A pista mais longa tem nada menos que 4,3 Km  e equipamentos mecanizados. Para chegar lá uma boa opção é o receptivo especializado em brasileiros Sousas Tour, que oferece dois pacotes completos tanto para El Colorado quanto para Farellones – com aluguel do equipamento já incluído.

Quanto custa

Tem gente que pensa que esquiar na neve é programa de rico – não chega a ser assim, mas também não é barato. Até porque não basta alugar o equipamento, há vários outros gastos. Há o tíquete do teleférico; aluguel dos armários ou lockers para guardar sapatos e bolsas, a menos que alguém que não queira esquiar fique com eles para você; o custo do transfer; da roupa de neve; alimentação etc.

O valor e a abrangência dos pacotes variam de acordo com a agência, claro, é possível ter uma ideia dos preços dos serviços locais usando como referência Valle Nevado, que é a estação mais cara. Lá, o kit teleférico custa entre US$ 38 e US$ 75; o aluguel de roupas de esqui sai em média US$ 35; e as aulas de esqui, que incluem tíquete principiante + aluguel de equipamento + 2 horas de aula coletiva, saem entre US$ 126 e US$ 142. Já um almoço em um dos principais restaurantes, o Don Giovanni, com entrada, prato principal e sobremesa, custa em torno de US$ 41.

Vale a pena? Muito, sem de sombra de dúvida. Você estará fazendo uma das melhores e mais divertidas viagens da sua vida e, com certeza, vai sair de lá já pensando na próxima oportunidade para voltar.

Quer saber mais sobre o Chile? Deixe aqui a sua sugestão!